Câmara Municipal do Porto

Created with Sketch.

Laboratório reabilitado e com condições de excelência ao serviço das águas da cidade

A renovação do Laboratório da Águas e Energia do Porto está concluída, dotando o equipamento das mais recentes tecnologias. Capacidade de análise reforçada permite continuar a garantir a qualidade e segurança da água que corre nas torneiras dos portuenses.

Linhas direitas, superfícies envidraçadas e o predomínio dos tons de branco: o renovado Laboratório da empresa municipal Águas e Energia do Porto é um local de ciência e uma infraestrutura de excelência ao serviço da cidade, que pode orgulhar-se de ter nas suas torneiras uma água de ótima qualidade.

Após quase dois anos de um trabalho de requalificação que coincidiu com o período pandémico, o Laboratório da Águas e Energia do Porto está já em pleno funcionamento, tendo recebido durante esta manhã a visita do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, acompanhado pelo arquiteto autor do projeto, Eduardo Souto de Moura, e pelo conselho de administração da Águas e Energia do Porto (AEdP).



Distribuído por três pisos, o equipamento está dotado com infraestruturas de excelência e equipado com as mais recentes tecnologias. Permitirá albergar, em espaços independentes, cada uma das técnicas analisadas no âmbito do controlo analítico de todo o ciclo urbano da água, numa lógica de salvaguarda de saúde pública e consolidando a imagem de marca ligada à satisfação dos clientes.

A intervenção revestiu-se de particular exigência, não só pelo contexto pandémico, como pelas normas técnicas a que o laboratório deve obedecer – por exemplo, ao nível dos materiais utilizados. "Não é um edifício normal, é uma obra de complexidade extrema. Tivemos alguns ajustes, para adaptar-nos à situação pandémica e aos novos cuidados que os espaços têm de cumprir. Foram grandes desafios. O investimento foi de cerca de 1,7 milhões de euros no global”, referiu o presidente do conselho de administração da AEdP, Frederico Fernandes.

Esse investimento será, naturalmente, amortizado com a capacidade reforçada de trabalho, que permitirá inclusive fazer prestação de serviço para o exterior: "Temos vindo a ser contactados por outros municípios e entidades gestoras de água, que procuram laboratórios acreditados para fazer as suas análises, e teremos condições para prestar esse serviço”, notou o responsável.


Área específica para identificar vírus da Covid-19

Ainda no âmbito da empreitada, e por força da pandemia de Covid-19, foi criada uma área específica que permite a identificação do vírus SARS-CoV-2 nas águas residuais, dando assim resposta aos desafios que a situação atual representa para a comunidade. "Temos vindo a monitorizar as águas residuais afluentes às ETAR do Freixo e Sobreiras, juntamente com o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto”, recordou Frederico Fernandes, salientando que a empresa municipal tem agora uma capacidade de resposta reforçada: "Com este novo laboratório, iremos nós próprios ter as condições de fazer esse tipo de análise e deteção do vírus. E quem fala deste vírus hoje, poderá falar de outro tipo de substâncias ou presença de micro-organismos no futuro.”

Referindo-se ao laboratório como "um novo cartão-de-visita dos Jardins de Nova Sintra e um novo cartão-de-visita da empresa”, Frederico Fernandes notou que o espaço trouxe uma melhoria significativa das condições de trabalho. "A renovação do laboratório era para nós um desejo antigo. Ao longo dos últimos anos, o número de amostras, de ensaios que fazemos às várias águas, tem vindo a ser crescente. Sublinhando sempre a importância de algo para nós é sagrado: a qualidade da água da cidade do Porto é ótima”, frisou o presidente do conselho de administração da AEdP.

"Quando falamos em controlo da qualidade da água, falamos em todo o ciclo urbano. A água que temos em casa, na torneira, a água das ribeiras, das praias. Do próprio saneamento, porque interessa-nos perceber quais são as presenças que existem no esgoto”, concluiu Frederico Fernandes, sem esquecer a componente educativa: "Esperamos poder trazer aqui alunos interessados nas temáticas da química, da qualidade e do controlo analítico da água, fazendo a articulação com o Pavilhão da Água, com esse lado mais pedagógico.”

O presidente do conselho de administração da AEdP acompanhou ainda o presidente da Câmara do Porto na visita à sala de comando da Águas e Energia do Porto, onde é feito o controlo técnico das operações relacionadas com o abastecimento à cidade.

Desde maio deste ano que a empresa municipal alargou as suas competências à área da Energia, passando a adotar a designação CMPEAE - Empresa de Águas e Energia do Município do Porto - abreviadamente, Águas e Energia do Porto. A empresa implementou, recentemente, uma revisão profunda do Plano de Segurança da Água, que estabelece um controlo mais eficaz do sistema, seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde e da legislação comunitária.
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi